Doc | Abacus: Small Enough to Jail

2.05.2018

Hoje é dia de documentário aqui pelo Serão no Sofá. E decidi falar-vos de um que vi recentemente não fosse ele estar nomeado aos Oscars deste ano na categoria de Melhor Documentário. Mais uma vez este é um documentário sobre o sistema judicial norte americano e um que acho que vale a pena ver.

Após a crise financeira  das hipotecas que assolou os Estados Unidos em 2008, apenas uma única empresa foi criminalmente acusada pelo sucedido, o banco Abacus, uma pequena e familiar instituição financeira localizada em Manhattan. A empresa é coordenada pela família Sung, composta por imigrantes chineses que, durante os cinco anos de processo, lutaram pela integridade do banco com o apoio da comunidade chinesa residente de Chinatown.
Thomas Sung emigrou para os Estados Unidos ainda muito jovem e lá licenciou-se em Direito. Quando terminou o curso mudou-se para a Chinatown e lá começou a desenvolver um grande trabalho como advogado e muito graças ao seu trabalho pro bono. Ao longo dos anos sempre foi ouvindo a comunidade chinesa queixar-se como era difícil ir a um banco simplesmente depositar o seu dinheiro, e como nem sempre os bancos os viam como potenciais clientes. Foi assim que ele numa tentativa de ajudar a sua comunidade fundou o banco Abacus Federal Saving Bank, um banco baseado na ideia do depósito e por isso um dos maiores da América em termos de pequenos cofres. A ideia era atrair as pessoas da comunidade a depositarem lá as suas poupanças e através de outros incentivos levá-las a contrair lá empréstimos para compra de casas ou na ajuda dos pequenos negócios locais. E o Abacus era o local ideal, porque conheciam muito bem a comunidade e podiam de uma forma mais personalizada ajudar as pessoas. Só que um dia, uma empresa acabou por apresentar queixa contra o banco, e ele torna-se assim o primeiro banco norte americano a ser formalmente acusado de corrupção, entre outros crimes, e a ser levado efectivamente a julgamento. O caso durou cinco anos e é durante esse tempo que nós vamos conhecer o caso, e a grande família por detrás dele.

Este é um documentário muito bem dirigido de todos os pontos de vista. Da comunidade chinesa nos estados unidos, uma comunidade muito unida e muito coesa neles mesmos enquanto comunidade. Do ponto de vista do banco, ao mostrar-nos como uma ideia familiar acabou por ter sucesso e muito sucesso, e do ponto de vista da família. Uma família cheia de garra e muito determinada nas suas resoluções. O caso acaba por ser muito caricato e isso torna o documentário ainda mais interessante. A história começa quando um dos "chefes" do banco começou a fazer corrupção no banco à frente de toda a gente levantando somas avultadas de dinheiro vivo, ou emprestando dinheiro a amigos que nunca regressaria ao banco, e nunca ninguém desconfiou ou sabiam e não se queriam era preocupar. Apenas quando eles são formalmente acusados é que começaram a perceber que o banco era tradicional demais e que algumas práticas que existiam no banco não eram as mais correctas. O filme mostra-nos a perspectiva de todos, da família muito unida, de alguns dirigentes do banco, de jornalistas que acompanharam o caso, de jurados que decidiram o veredicto, da procuradoria do caso, e todos nos mostram o seu ponto de vista, e em como apesar de o banco ser culpado, porque mantinha práticas não tão explicitas ele era pequeno demais para ser condenado, face aos grandes bancos norte americanos que praticam diariamente crimes maiores e nunca ninguém teve a coragem de os acusar de nada. 

Abacus, só nos mostra como a justiça pode ser muito ambígua e como pode ter vários lados e que mesmo eles sendo culpados de alguns crimes não seria o mais correcto a sua condenação, até porque o alarme social que só a sua condenação deixou no público serviu para eles perceberem que o fecho do banco ou a condenação total poderia levar a situações piores. Hoje o banco está sobre supervisão e conduz práticas mais claras e normalizadas para com os seus clientes e isso dá outra segurança aos depositantes. 

Eu gostei muito do documentário, não fosse eu fã de casos jurídicos e fiquei mais uma vez surpreendida com a forma como a justiça norte americana trata as pessoas e os seu casos, condenando logo à partida sem ponderar bem se a verdade dos factos é realmente aquela. Um documentário que acho que vale muito a pena ver.


Enviar um comentário

Latest Instagrams

© Serão no Sofá. Design by FCD.