Dose dupla #6 | Goodbye Christopher Robin & Professor Marston and the wonder women

1.17.2018

No dose dupla de hoje, trago-vos a opinião de dois estreias de 2017 que vi nos últimos dias: Goodbye Christopher Robin & Professor Marston and the wonder women. Ambos focam-se em escritores e na forma como as suas experiências pessoais influenciaram as suas obras.


Goodbye Christopher Robin é um filme que estreou no Reino Unido no final do ano passado mas que não tem data de estreia marcada para Portugal. Quem me conhece sabe que gosto muito das personagens do Winnie-the-Pooh e, como tal, este era um filme que queria muito ver.


Contrariamente ao que eu esperava, este é um filme que se foca muito pouco nas personagens do Winnie-the-Pooh mas que não é também propriamente um filme biográfico do escritor A.A. Milne. É sim um filme que se foca muito na relação entre o escritor e o seu filho, e como que aquilo que era inicialmente uma brincadeira entre eles se transformou numa obra infantil ainda lida hoje em dia. Apesar do Winnie ter tido um impacto tão positivo em inúmeros lares e leitores, a publicação do livro teve repercussões um pouco mais negativas na vida do verdadeiro Christopher que sentiu que a sua infância estava a ser explorada pelo pai. 
É um filme bastante terno e íntimo que não teve medo de mostrar que, no fundo, algo precioso para o verdadeiro Christopher foi explorado um pouco sem vergonha pelos seus pais. O seu ritmo é um pouco lento demais às vezes e gostava de ter conhecido melhor a história do A.A. Milne para além do Winnie mas é um filme confortável que se vê bastante bem. A cinematografia, guarda-roupa e cenários são também muito bons. Gostei de todas as interpretações mas confesso que quem me conquistou mais foi o pequeno Will Tilston.
Concluindo, é um filme encantador que não arrebata mas que recomendo para quem gosta de dramas de época, filmes sobre escritores ou do Winnie-the-Pooh :)  ★★★☆☆½


Confesso que a primeira vez que ouvi falar do Professor Marston e do seu relacionamento poliamoroso foi aquando do lançamento do trailer deste filme mas fiquei logo muito curiosa para conhecer esta história. Tinha uma noção vaga que a personagem da Mulher Maravilha era um ícone importante para a comunidade LGBT e feminista, e ao ver este filme acabei por perceber porquê.


Este é um filme que explora as origens da Mulher Maravilha que foi inspirada nas personalidades e ideias feministas das duas mulheres com as quais o escritor/psicólogo partilhava uma relação poliamorosa.
Mesmo que não seja 100% historicamente correcto, este é um filme que nos apresenta uma relação não convencional de uma forma madura, real e sincera e que procura promover um espírito de tolerância, igualdade e respeito. As interpretações são óptimas, com um grande destaque para a Rebecca Hall, e existe uma excelente química entre os três. Só acaba por não levar as 4 estrelas porque gostava que eles tivessem explorado melhor os aspectos práticos da relação e a dinâmica com os filhos. Acaba por se tornar um pouco leve demais ao não aprofundar certos elementos da narrativa.
Há, sem dúvida, um oportunismo comercial no que diz respeito à data de lançamento (aproveitar que a Mulher Maravilha está em alta) mas, mesmo assim, é um filme provocador que nos faz pensar.
Mesmo que não sejam fãs de super-heróis ou conheçam a Mulher Maravilha, vale a pena darem uma oportunidade ao filme pelo lado humano e feminista da história. ★★★☆☆½





Já viram algum destes filmes? 


Enviar um comentário

Latest Instagrams

© Serão no Sofá. Design by FCD.