Doc | The Cutting Edge: The Magic of Movie Editing (2004)

8.28.2017

Como disse este mês pensei em trazer-vos dois documentários mais virados para o cinema. Se o primeiro foi sobre técnicas de filmagem, este é sobre edição dos filmes. Eu quando comecei a gravar vídeos e a editar comecei a perceber a importância de uma boa edição, e ver este documentário só veio comprovar isso mesmo. A edição faz a diferença.


“The Cutting Edge: The Magic of Movie Editing” é um documentário sobre e edição nos filmes. Quando o cinema apareceu os filmes não eram editados. Eles eram filmados e reproduzidos tal e qual como tinham sido filmados. Na época todos pensavam que a indústria do cinema estava condenada, uma vez que toda a gente se iria fartar daquele tipo de filmes. Só que há um dia em que um discípulo de um grande realizador na altura conseguiu perceber que ao cortar a película de filme em determinados momentos e ao inserir outras partes de outras filmagens conseguia obter uma história encadeada e com algum sentido para os espectadores. A partir daí o cinema nunca mais parou e hoje a edição de um filme é uma das partes mais importantes na produção cinematográfica.

Este é um documentário muito interessante, mais até do que estava à espera. Primeiro porque acaba por acompanhar a evolução da edição ao longo dos tempos desde a altura em que a mesma foi inventada. E aborda todas as épocas pelas quais ela foi passando, desde a altura em que esta era uma arte reservada quase que em exclusividade às mulheres até aos dias de hoje onde é possível fazer-se de tudo um pouco com a edição. Este documentário acompanha a perspectiva de realizadores e editores naquilo que é o processo de edição dos filmes e também da própria profissão. A edição não é apenas o corte de cenas e a junção de filmagens. Ao editor podem chegar milhares de filmagens de todas as cenas e de todos os ângulos e cabe-lhe a ele a escolha de qual o segmento a levar e que parte da história enaltecer. E se antes essa era uma tarefa quase que regulada por leis restritas dos grandes estúdios de cinema, hoje os editores conseguem ter uma maior autonomia e fazerem um trabalho mais deles. Cabe à edição tornar o filme algo agradável de se ver e acima de tudo dar ao espectador uma história que faça sentido tanto a nível de roteiro, como a nível de imagem.  

É engraçado pensar em como a edição ao longo dos tempos foi evoluindo e se foi adaptando aos vários acontecimentos históricos. Se no início o objectivo da edição era simplesmente contar uma história e levar o espectador a emocionar-se com a mesma. Passou rapidamente a ser uma forma de campanha e propaganda nos grandes conflitos mundiais, utilizada pelos grandes ditadores como forma de mostrar aos seus povos aquilo que eles queriam transmitir. Passou depois a incorporar o som e a deixar os espectadores novamente emocionados com as histórias e hoje em dia serve como uma terceira ferramenta de criação nos filmes. A edição já obedeceu a regras restritas de técnicas a serem usadas, de formas de cortes e até de filmagens, mas hoje tornou-se mais livre e intuitiva e pode-se dizer até que pode salvar ou arruinar o trabalho de um realizador ou actor conforme as imagens que o editor decida utilizar. O documentário é divido por várias partes, prontas a mostrar a evolução da edição nos filmes, e mostra-nos como é editar cenas de falas e contra-falas, perseguições, cenas de sexo, suspense e terror, close-ups e até cenas com erros de gravação. Mostra-nos como o som é importante e em que cenas o mesmo deve se manter o original ou ser substituído por uma banda sonora. Mostra-nos como nem sempre é fácil para um editor editar filmes mais dramáticos e com histórias mais pesadas. Ou como por outro lado a era moderna dos efeitos especiais ou do 3D acaba por ser mais aliciante para um editor. 

O papel do editor de filmes só muito recentemente teve lugar à sua distinção, uma vez que só há bem pouco tempo esta profissão passou a ter lugar de destaque e relevância na industria tendo direito agora também a uma categoria nos Oscars. E eu gostei muito de ver este documentário, porque está simples e preciso na mensagem que quer levar ao público, que é a importância de uma área tantas vezes esquecida. Com este documentário dá para ter um pouco da noção de como é editar um filme, mas a mim se calhar faltou-me um pouco mais da parte demonstrativa. No entanto a forma como todos os editores falaram apaixonadamente da sua área faz com que fiquemos cada vez mais atentos à edição dos filmes também.  É por isso um documentário que recomendo. 





Enviar um comentário

Latest Instagrams

© Serão no Sofá. Design by FCD.